Esse homem enganou a mulher durante anos dizendo que tinha câncer terminal

“Ele me roubou uma grande parte da minha vida”, diz Lucy Witchard. A acusação da britânica é dirigida a seu ex-marido, David Carroll, que fingiu ter leucemia desde que a conheceu, em 2006.

Os dois se casaram em 2011, mas já estão divorciados.

Witchard, hoje com 31 anos, disse que sua mãe deu a Carroll, de 35 anos, cerca de US$ 2,6 mil (quase R$ 10 mil na cotação atual) para que ele se tratasse nos Estados Unidos, depois de ele dizer que seu câncer era terminal.

Na semana passada, Carroll foi condenado pela Justiça britânica a 26 semanas de prisão por fraude, pena que será suspensa caso ele realize 180 horas de trabalho comunitário e pague uma indenização de US$ 2,6 mil.

Além disso, a Justiça ordenou que ele passe um ano sem se aproximar de sua ex-mulher e da mãe dela.

À BBC, Lucy Witchard disse que sua família começou a suspeitar da mentira quando Carroll estava nos EUA: ele parecia estar curtindo férias, em vez de submeter a um tratamento médico.

Ela confrontou o ex-marido quando ele retornou ao Reino Unido, mas ele teria ficado “furioso” e tentado prosseguir com a farsa.

“(Ele) inclusive fez um amigo me ligar, fingindo ser seu médico”, diz ela. “Depois desse telefonema, soube que nosso casamento tinha acabado.”

Carroll acabou admitindo que havia mentido e que não tinha leucemia.

Witchard disse que se sentiu “incrivelmente ferida e aborrecida”, por ele ter “roubado uma grande parte” de sua vida.

Um antigo integrante do time de rúgbi do qual Carroll fazia parte disse à BBC que ele também tinha mentido para a equipe a respeito de seu suposto câncer, e que recebeu doações de alimentos.

Jonathan Hunt, do Aylestone Athletic RFC, conta que “Carroll tinha se proposto o desafio de correr sete maratonas em sete dias. Mas não pôde fazê-lo porque, segundo dizia, sua doença estava piorando”.

“E aí o clube organizou dois eventos para arrecadar fundos a fim de ajudar Carroll e outros pacientes de leucemia”, disse Hunt.

Fonte: Notícias BOL